domingo, 9 de março de 2008

CUBA - HABANA e VARADERO

O nome Cuba deriva de “cubanacán”, do Taíno, que significa “lugar central".

A República de Cuba é um país formado pela ilha de Cuba (a maior das Antillas, que tem 1220 Km de cumprimento e largura variando entre 32 e 210 Km), Ilha da Juventude e cerca de 1.600 ilhotas paradisíacas chamadas de Cayos.

Conta com mais de 11 milhões de habitantes e sua população, extremamente eclética, é formada por mulatos (51%), brancos (37%), pretos (11%) e orientais (1%).
O ano de 1952 marca a chegada ao poder do general Fulgencio Batista, que estabelece uma forte ditadura ao serviço dos interesses dos Estados Unidos. Durante sete anos, Havana e a península de Varadero, com a Florida, a menos de 150 Km, transformaram-se em estâncias de luxo das mais abastadas famílias norte-americanas.
.

Entretanto, um movimento revolucionário - com Fidel Castro e "Che" Guevara à cabeça - começa a ganhar forma e, a 1 de Janeiro de 1959, a revolução triunfa. Batista é deposto e Fidel assume os destinos daquele pequeno país. Ernesto “Che” Guevara (um comunista argentino e um dos conselheiros mais próximos de Fidel) consegue persuadi-lo a se afastar dos elementos liberais da revolução e a fazer uma aliança com os comunistas e, portanto, com a União Soviética. Como represália, os Estados Unidos impuseram um embargo econômico à ilha.
.

Desde então pode-se dizer que Cuba literalmente parou no tempo. O seu maior estigma e também o seu maior encanto é precisamente este.
A opção pelo turismo começou a delinear-se há mais de dez anos, quando a extinção da antiga União Soviética privou os 11 milhões de cubanos da mesada de 580 milhões de dólares enviada pelos russos.


DICAS

Aeroporto: Tenha paciência para resgatar as malas ao chegar em Havana, e com o rigor das autoridades quando chegar em Havana. Parece Alcatraz, só falta revista íntima. Eles são rigorosos, porém educados.

Moeda: Peso cubano convertido (CUC) ou dólar americano. American Express ou cartões vinculados a bancos americanos não são validos. O câmbio é feito na recepção do hotel ou em casas de câmbio (CADECA).

Culinária: Nos hotéis os cardápios são mais sofisticados. Fora dos hotéis os preços são bem mais baixos, mas prepare-se para comer muito mal. O “congris”, prato típico, é uma mistura de feijão preto com arroz cozido no caldo do próprio feijão. A “yuca” é o nosso aipim.

Transporte: Prefira caminhada ou pegue um “Coco Táxi” (nem sempre mais baratos, mas mais divertidos).



LA HABANA

Com seus sítios históricos, demarcados por edificações da época colonial, e uma frota de automóveis com quase 50 anos e antigas motos com side-car, “La Habana” parece uma máquina do tempo.


Lá se revive a época em que piratas e corsários procuravam apoderar-se a ferro e fogo das riquezas que os espanhóis armazenavam sob a proteção do “Malecón” (imponente quebra-mar que contorna boa parte da cidade, desde o Paseo del Prado até a desembocadura do Rio Almendares).


Habana Vieja

Centro histórico declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1982, vem sendo restaurada com dinheiro da comunidade internacional. Rodeada por uma muralha do século XVII a “Villa de San Cristóbal de La Habana” apresenta, num raio de ação bem pequeno, uma lista imensa de locais a visitar, sejam de interesse arquitetônico, cultural ou simplesmente social.

A Calle Obispo, uma das principais ruas da cidade velha, está repleta de edifícios coloniais, como a Catedral de Havana, ou de San Cristóbal, cuja fachada defende o esplendor da arquitetura barroca em Cuba. É talvez o monumento mais bonito de Havana.


No 207 da Calle Empedrado fica o bar mais popular da capital “La Bodeguita del Médio”, celebrizada por Hemingway, onde se toma o Mojito.



Fora dos Muros

Do outro lado da muralha surgem locais como o Parque Central e a Praça da Revolução.

Nas proximidades também estão o Gran Teatro de La Habana e o Capitolio, um dos prédios mais imponentes da capital.

O Paseo del Prado liga o Parque Central ao Malecón, marcando os limites entre os municípios (bairros) de “La Habana Vieja” e “Centro Habana”. A sua construção começou em 1772 e foi o lugar predileto dos habaneros no início do século XX.


Nos bairros de Vedado e Miramar dificilmente se vê alguma agitação, exceto no Paseo de la Rampa, que fica na Avenida 23 desde a Calle L até o mar, em El Vedado. Abriga sedes de ministérios, escritórios importantes, salas de cinema, clubes, restaurantes e a sorveteria Coppelia onde se pode desfrutar de um excelente sorvete de “vanilla” (único sabor).

Onde o Passeo de la Rampa encontra o Malecón, está o Hotel Nacional, administrado pelo PCC. Tome um Añejo (rum envelhecido) ou um Daikiri nos jardins, observando o movimento, de preferência no final da tarde, com os pavões passeando ao seu redor.

À noite, prepare-se para ficar no hotel e desfrutar das comodidades. É o melhor programa.




VARADERO

Fica 130 km da capital, na península de Hicacos, Varadero é um areal de apenas 25 km mas com muitos atrativos naturais.

Fundada em 1887, rapidamente se tornou conhecida como local de veraneio. Primeiro de famílias da burguesia cubana e mais tarde pela elite norte-americana, que ali se instalou nas décadas de 40 e 50. A lenda conta que Al Capone teria tido uma casa em Varadero.

Não é necessária uma grande reflexão para concluir rapidamente que o sucesso de Varadero é o mar. De um azul profundo e uma temperatura de superfície, que por vezes chega aos 34 graus.

Prepare-se para ouvir muita Rumba, Salsa, Mambo e Cha-cha-chá.


O hotel Meliá Varadero fica em uma das áreas mais bonitas da península e recebe visitantes de todas as partes do mundo. As acomodações são confortáveis e funciona no sistema “tudo incluído”. E ainda existe a possibilidade de uso compartilhado das instalações dos hotéis visinhos: Meliá las Américas e Meliá Sol Palmeira.


Varadero possui um rosário de cayos virgens de fácil acesso e mais de 20 pontos do mergulho.



Mergulho na Baia de Cochinos, no lado caribenho da ilha. Nas profundidades dessas águas cristalinas (visibilidade de cerca de 50 metros) existe uma parede de corais simplesmente espetacular, com um ecossistema exuberante.


3 Comentários:

Às 12 de março de 2008 17:07 , Blogger maremel disse...

Leandro, você é um excelente agente de viagens. Seus comentários são interessantes, claros e "envolventes"! Já estou querendo ir para lá. Abração, ledamar
Ah... adorei as fotos do artista principal!

 
Às 3 de agosto de 2008 16:04 , Blogger Luis disse...

Hola!, como va?, muy bueno este blog, me gusto, voy a seguir pasando, saludos!! q andes bien
Cuando quieras pasa por el mio

Luis

 
Às 12 de maio de 2009 18:25 , Blogger zahra disse...

Essas almas flamencas,amam o mar claro que não é particularidade nossa,entretanto parece-me charmoso que assim seja,dito.belas viagens amigo, a vida só vale a pena quando enfim podemos,passear por lugares nunca vistos,lindas paisagens,e liberdade,sol...termina você amigo.
beijo em seu coração.sua amiga zahra paz.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Início